A GNR e o IRAQUE

Os militares da GNR chegaram ao Iraque.
Trata-se de uma operação de risco que resulta fundamentalmente do seguidismo do nosso governo em relação às opções estratégicas dos EUA. Tal como nas guerras antigas, vamos à procura do nosso saque.
Não era preciso.
Não creio que tivéssemos necessidade disso.
Ao participarmos em missões militares, mesmo sob a forma de manutenção de paz, num país ocupado por tropas estrangeiras, que derrubado mas não eliminado Saddam Hussein, parece que estão apenas à espera do saque do petróleo e da reconstrução, estamos a embarcar numa missão sem sentido.
O recente atentado contra as tropas italianas veio infelizmente mostrar irracionalidade de tudo isto. Os norte americanos com os prazos apertados para o calendário eleitoral de George W. Bush, incapazes de fazer a libertação e democratização de um povo, têm pressa em passar a batata quente para os aliados.
E agora, se houver grande crise, com um mesmo tipo de atentado que recentemente atingiu a tropa italiana.
Que ministro português se demitiria? O da Defesa? O da Administração Interna? O próprio Primeiro Ministro?
ajp

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os nomes das doenças [21]

A saga parte II