Mensagens

A mostrar mensagens de 2003

Incêndios no Inverno, Cervejas no Verão

Afinal os incêndios do Verão passado prolongam-se até este Inverno.
Depois das casas e das matas ardidas, apareceram os helicópteros que sobrevoavam Lamego, em viagens turísticas e agora apareceram os jipes, que são oferecidos, mas afinal permanecem ao serviço dos antigos reis das águas.
Talvez seja de sugerir que no próximo Verão se combatam os fogos com cerveja...
ajp

Prendas

- O que é que estás à espera de receber no Natal?
- Oh amigo, com esta idade só me calham cuecas, cachecóis e peúgas...

Mensagens natalícias

Das diversas mensagens natalícia recebidas quero destacar esta, de um colega de trabalho, grande amante das coisas boas da vida, que pela sua actualidade quero partilhar com aqueles que por aqui passam para ler estes textos:

Caros amigos,

Há muitos anos, muito antes do aparecimento da televisão, do computador e do telemóvel, deu-se um acontecimento, de tal forma mediático, que, ainda hoje, rivaliza com as super-notícias que pululam pelos jornais das televisões, em horário nobre.

Na altura, nem os jornais da terra (a existirem) fizeram eco do nascimento. Embora, nascer, na altura, é que fosse notícia. E não morrer, como acontece hoje. Hoje, como sabem, morre-se a toda a hora na televisão. Seja na estrada, num filme de suspense com o serial killer de serviço, numa disputa de vizinhos em Freixo-de-Espada-à-Cinta ou num atentado bombista em Jerusalém e no Iraque. Morre-se a toda a hora, numa sangria desatada, dando ao mundo parecenças com um vulgar matadouro.

Os pais da criança, mudos d…

Cá estamos no Natal

Ontem à tarde e à noite o telemóvel não parou, com recados e mensagens escritas de Boas Festas. Por pouco que não acabaram por perturbar um funeral de uma minha tia. Nunca me tinha acontecido. A morte de um familiar mesmo em cima do Natal, quando nos preparamos para celebrar um nascimento.
Mas é a vida (como dizia o outro)...
Na maioria das mensagens escritas, amigos, familiares e colegas lembram-nos nesta data, que ainda não estamos sós. Nos últimos dias também o computador fervilhou com textos e ficheiros anexos, zipados , com os desenhos e gracinhas de Natal.
Não respondi ainda a ninguém. É cedo. Vou deixar passar uns dias, porque assim sempre posso fazer durar e cumprir aquela ideia, de que o Natal é quando nós quisermos.
ajp

Viagens para o Iraque

Está na moda. Depois da ida de G. Bush para comer o perú de plástico, e mostrar-se aos seus homens e à opinião pública americana, toda a gente, que é poder, vai ao Iraque visitar (muito rapidamente), os bravos soldados que aí se batem pela sobrevivência.
Faz lembrar as tréguas que eram negociadas durante o Natal, nas antigas grandes guerras. Então os inimigos faziam patuscadas, trocavam prendas durante esse período, e uns dias depois voltavam a tentar matar-se.
Mas as guerras actuais já não se compadecem com estas subtilezas.
Agora é tudo a despachar, porque podemos ter que ir fazer a guerra para outro lado.
ajp

"Se não nos virmos..."

Se não nos virmos, Bom Natal e Feliz Ano Novo.
É mais ou menos desta forma que vamos ouvindo a troca de saudações entre as pessoas.
Se não nos virmos, porquê? A ideia seria a de termos a oportunidade de desejar as boas festas, a cada familiar, amigo ou conhecido, mesmo em cima da hora, mesmo na véspera. Como se o facto de o manifestarmos desde já, leve a que esse desejo se perca ou arrefeça com o tempo. E nesta época, o que queremos mais é o calor das festas.

E para que eu não fuja à tradição, desejo desde já, aqueles que por aqui passam, que o Natal seja de facto uma boa época de muita esperança num Bom Ano de 2004. E divirtam-se.
António José Paulino

Bandeiras vermelhas

Ontem, as bandeiras vermelhas brilharam em Bagdad, com entusiasmo.
E afinal não foi pela vitória do Benfica no campeonato.
Ao princípio pensei que era esse o motivo..., quando veremos tal coisa em Lisboa?
Mas era apenas pela queda física do Saddam.
Quantos mortos foram precisos (e contiunuarão ser), de todas as nacionalidades, para terminar com o sofrimento dos iraquianos?
ajp

Água potável

Fui ao Porto, de carro, pela A1.
Parei para descansar, como mandam as regras e o corpo exige. Foi num dos dois parques para repouso, sem contar com as áreas de serviço.
Os santários estavam ao abandono, e são de uma configuração que já não se usa.
E água?
Dois grandes avisos indicam-nos que água não é potável. Dá apenas para lavagens.
Aqui está a Brisa a obrigar os condutores a irem comprar água às áreas de serviço, aos preços exorbitantes a que já nos habituaram. Não deveria ser assim.
Como estamos longe da Europa.
ajp

Os casos da justiça

Este ano tem sido muito fértil em casos da nossa justiça.
Durante todo o ano, o caso da pedofilia na Casa Pia.
Agora em Dezembro voltou-se mais uma vez ao caso Camarate, 23 anos depois do acidente ou atentado que vitimou vários políticos entre os quais Francisco Sá Carneiro.
Será que as minhas amigas do Pepe'R'us, que ainda não tinham nascido em 1980, saberão o que foi este caso?
Voltou agora também o caso Costa Freire, que começou à 17 anos. E o mais absurdo é que não vai valer a pena, porque em breve vai ficar prescrito.
Fico confuso com tanta justiça e com tanta lentidão.
O que é que terei de deixar escrito para os meus netos, para que eles percebam, talvez daqui a 23 anos, do que é que se tratava o caso da pedofilia na Casa Pia?
Não é de achar ridículo, aquelas entrevistas que se fazem nestas alturas, em que muitas pessoas, e algumas com grandes responsabilidades, dizem sempre com um ar ingénuo, que confiam na justiça portuguesa....
ajp

A melhor aluna

Um destes dias veio publicado que a nossa melhor aluna do ensino secundário, que estuda em Coimbra, apesar de ter 20 não quer ir para Medicina, mas está a estudar jornalismo.
Que país este, que realidade é esta do nosso ensino, que pretende formar os futuros médicos apenas a partir de génios, e as restantes profissões apenas para jovens apenas medianos?
E é com estas e outras situações que se vêm repetindo ao longo dos anos que levam a que faltem médicos nas urgências de pediatria em Lisboa, e em muitos centros de saúde do país.
Onde anda a Ordem dos Médicos? O Ministério da Saúde e da Educação?
Quanto tempo vamos esperar para que esta situação se resolva?
ajp

Anúncios engraçados

Passa agora na rádio um anúncio do Banco Espírito Santo (BES), bastante engraçado, sobre uma oferta de Natal de um jovem marido à sua também jovem esposa (ou serão namorados?), em que ela fica muito agradada com a originalidade da prenda. Trata-se da neve. A queda de neve, que ele lhe disse ter sido uma oferta especial dele. E ela, ingénua (?), acreditou. Depois publicita-se o banco, e no final, para terminar a graça, ela diz com ar zangado que afinal estava a cair neve na varanda da vizinha...
É esta mania dos anúncios engraçados para cativar melhor o ouvinte.
Mas o mais dramático, é que com este tipo de mensagens publicitárias, o que se pretende também passar, é esta forma de inferiorizar a mulher que, quase sempre ingénua, acredita em tudo quanto o marido (ou namorado) lhe diz para a convencer do seu amor...
Não será possível passar outras mensagens que dignifiquem as pessoas, homem ou mulher?
ajp

Subsídio de Desemprego

Ontem, com alguma displicência, o ministro Bagão Félix, achou quase normal, e sem importância, que o pagamento do Subsídio de Desemprego estivesse atrasado 3 dias.
Quando o desemprego em Portugal atinge valores nunca vistos, é de muito mau gosto um governante tentar menorizar o impacto de tal atraso.
Primeiro pelo facto de qualquer que seja o valor em causa, não desculpa as obrigações do Estado. Depois, porque para os que recebem valores baixos, esses são os únicos com que podem contar, e as contas a pagamento não podem esperar. É que se tiverem de pagar alguma taxa ou imposto ao Estado, este não vai aceitar atrasos.
Assim é difícil viver pramelhor.
ajp

Autoeuropa

Um posto de trabalho, um local para o desempenhar, um salário certo e duradouro, são atributos cada vez mais procurados. Parece que foi isto que os que trabalham na Autoeuropa quiseram preservar, contra a hipótese de um terço de despedimentos. Quem tem um emprego não o quer largar. E se a solidariedade entre todos, puder manter o maior número de empregos, então tanto melhor.
Talvez este seja um exemplo a seguir por mais empresas e trabalhadores, acautelando assim o futuro, que cada vez parece mais incerto.
ajp

À vela

Os espanhois através da cidade de Valência, vão ter barcos à vela até 2007. E assim talvez fiquem mais ricos. Pelo menos era isso também nos era prometido para a zona da Docapesca. Nessa altura, segundo creio, estaremos completamente integrados na grande nação ibérica, pelo que, tal acontecimento e tal riqueza deverão contribuir para o nosso PIB comum.
Por isso temos de estar contentes. Olha se tivessem ganho os italianos ou os franceses?
ajp

Ler devagar

Um destes dias, no lançamento de um livro sobre os media, "Fogo sobre os Media" coordenado por J.M.Pureza e Francisco Ferrándiz, o jornalista Adelino Gomes, do jornal Público, fez uma comunicação, empolgada, profunda, excelente, sobre a sua experiência e estudo sobre estes fenómenos mediáticos.
Foi bom ver como, no meio de muita mediocridade que impera nos nossos media, vai havendo gente que sobre eles reflecte e produz pensamento. Os recentes acontecimentos que envolveram os jornalistas portugueses no Iraque, à volta da GNR, veio mostrar como andamos atrasados no tempo e sem preparação para actuar e perceber o que se passa em terrenos de guerra. O texto do operador de câmara da CBS, Mário de Carvalho, no domingo no Público, "Parem lá com isso!" foi bem esclarecedor das diferenças de entendimento do que deve ser uma reportagem na guerra.
É nestas discussões que os nossos media deveriam entrar, pramelhor informarem.
António J Paulino

A língua de um treinador

Dos jornais:
O Belenenses mudou de treinador.
O Manuel José arranjou um novo contrato das arábias e foi ganhar dinheiro, deixando a equipa de Belém.
Mas nisto do futebol há sempre alternativas. Há aí pelo mundo, sempre algum treinador disponível, normalmente despedido de outro clube, disposto a prosseguir carreira num outro país.
Foi o que aconteceu agora.
Desta vez, e para desenjoar dos brasileiros, que costumam parar pelo Belenenses, veio um sérvio, de seu nome Vladislav Bogievic.
Até aqui nada de especial, que não aconteça em muitos campeonatos.
Mas o mais interessante veio a seguir. Quando os dirigentes do Belenenses o apresentaram, além de salientarem as suas qualidades como treinador, disseram que o facto de ele falar castelhano, foi um factor decisivo para a sua contratação.
Estamos cada vez mais ibéricos e menos portugueses.
O castelhano é a língua mais falada na Península Ibérica, a bem dizer entendida por todos os povos que aqui habitam (bascos, galegos, catalães, portuguese…

Maturidade

Dos jornais de ontem vem a notícia da descoberta de dois cientistas neozelandeses de um etiquete que ao serem sensíveis aos aromas libertados pela fruta, nos podem indicar o seu estado de amadurecimento, mudando a cor.
Assim deixaremos de apalpar a fruta, que é sempre uma actividade de que todos gostamos, para saber se devemos comprar ou não.
Já estou a imaginar o que o futuro nos reserva. Etiquetas semelhantes, transformadas em apetrechos de vestuário, que vão indicando para o exterior o nosso estado de amadurecimento na vida, o nosso estado de espírito, o nosso humor. Assim saberíamos melhor como dialogar com os outros.
ajp

Seguranças

A CP, preocupada com a crescente insegurança que se vive em alguns comboios da noite, na linha de Sintra, contratou uma empresa de segurança para tentar dissuadir os energúmenos de atacar os passageiros e de destruiar as carruagens.
Parece que a Federação Portuguesa de Futebol vai contratrar a mesma empresa para acompanhar aos balneários os nossos jovens da bola, sub-21, que não são capazes de tomar duche sem deixarem a sua marca por onde passam.
Afinal as claques não passam de uns anjinhos...
ajp

Guias Turísticos

Coisas do passado.
Quem não se lembra de ver junto dos monumentos históricos um conjunto de turistas à volta de um ou uma guia turística, bem visível com um chapéu de chuva, ao alto, garrido, com a bandeira do país, para que ninguém se perdesse. E assim se guiavam esses descobridores do passado, de batalhas sangrentas, de lutas entre povos, visitados numas férias aprazíveis, longe das guerras actuais.
Mas as coisas vão mudando.
Hoje no Metro, entraram 27 japoneses.
Achei estranho todos terem um auricular. Todos a ouvir rádio ou um CD no Metro seria difícil... Só se fosse alguma explicação do Metro, como a que existe em alguns museus.
Afinal o que se passava era que estavam a ser rádio-comandados por uma guia, que com um pequeno emissor, lá os orientava à saída da carruagem, para mudarem de linha. Deveriam ir para a Baixa.
São estas as pequenas novidades tecnológicas que vão tele/rádio comandando as nossa vidas.
ajp

A GNR e o Iraque (2)

E como perguntava aquele meu amigo:
- E se for um guarda da GNR a apanhar o Saddam Hussein, que andava disfarçado a pedir à porta de uma mesquita no Iraque?
Então o ministro Figueiredo Lopes será, naturalmente, condecorado pelas Nações Unidas...
ajp

Miguel de Vasconcelos

No fim de semana ao ler os diversos comentários à recente cimeira ibérica, verifiquei que se vai chegando à conclusão, de que não passamos de um país lateral que para tudo precisa de passar por Madrid.
É nos comboios de alta velocidade [TGV], é no mercado ibérico de electricidade [MIBEL], é nas pescas, é em tudo o que nos pode levar a uma maior dependência de Espanha.
Miguel de Vasconcelos foi atirado da janela abaixo aquando da restauração da independência de Portugal, no 1º de Dezembro de 1640, acusado de traição por estar feito com os castelhanos.
Após 60 anos de subjugação, assim se cimentou na época, a ideia de que de Castela, nem bom vento nem bom casamento.
Mas estes recentes acontecimentos e a cada vez maior dependência do poder económico espanhol, irá certamente levar a uma inversão destes valores.
Será que o Miguel de Vasconcelos será brevemente reabilitado? Porque ele de facto teria tido a visão estratégica, mas muito adiantado para o seu tempo, de que o nosso futuro pass…

A GNR e o IRAQUE

Os militares da GNR chegaram ao Iraque.
Trata-se de uma operação de risco que resulta fundamentalmente do seguidismo do nosso governo em relação às opções estratégicas dos EUA. Tal como nas guerras antigas, vamos à procura do nosso saque.
Não era preciso.
Não creio que tivéssemos necessidade disso.
Ao participarmos em missões militares, mesmo sob a forma de manutenção de paz, num país ocupado por tropas estrangeiras, que derrubado mas não eliminado Saddam Hussein, parece que estão apenas à espera do saque do petróleo e da reconstrução, estamos a embarcar numa missão sem sentido.
O recente atentado contra as tropas italianas veio infelizmente mostrar irracionalidade de tudo isto. Os norte americanos com os prazos apertados para o calendário eleitoral de George W. Bush, incapazes de fazer a libertação e democratização de um povo, têm pressa em passar a batata quente para os aliados.
E agora, se houver grande crise, com um mesmo tipo de atentado que recentemente atingiu a tropa italian…

O meu carro foi roubado (2)

O meu carro já apareceu. Foi em Cascais.
Parece que serviu para uns assaltos. Foi abandonado, mas apesar de tudo só levaram o painel do rádio.
Afinal até foram uns bons rapazes.
Há carros, que mesmo muito velhos, têm um valor inestimável.
Foi bom reaver este amigo.
ajp

O meu carro foi roubado (1)

O meu carro foi roubado.
Foi preciso fazer a participação na Polícia.
Na esquadra de Santa Marta, num gabinete sem condições, agarrado a um pc portátil o senhor agente escreveu a participação, que assinei no final.
Até aqui tudo bem. Quero dizer, com aquelas condições de trabalho seria difícil fazer melhor.
Mas o engraçado foi ver, como são solícitos os agentes da autoridade, ao tentar averiguar se a viatura teria sido rebocada para algum dos parques da PSP. E foi vê-los a telefonar para cada um dos parques para saber da minha viatura. Ao fim de cerca de meia dúzia de telefonemas, incluindo a EMEL, concluiu-se que ele não estava em lado nenhum.
Mas afinal para que serve a informática na PSP se não existe um sistema central de informação sobre os carros armazenados nos parques?
ajp

Incêndios

Este Verão ficou tristemente célebre com os incêndios que queimaram grande parte do território, deixando um rasto de desespero nas pessoas e instituições mais afectadss. E como temos visto, ainda a procissão vai no adro. Passaremos o Outono e o Inverno nessas discussões, com mais ou menos formação de bombeiros e entretanto alguns (ir)responsáveis foram ou serão demitidos e se calhar no próximo Verão voltaremos ao início desta história.
Mas não haja dúvida que estes tristes acontecimentos deixaram marcas em toda a população.
Vejam o que eu encontrei na montra de um restaurante da Av. Duque de Loulé:
Precisa-se de Ajudante de Cozinheira
com prática de Fogo


Será para melhor atacar os incêndios na cozinha ou para dar uma ajuda aos bombeiros da zona?
ajp

Prazo de validade

Os medicamentos têm quase sempre um prazo de validade. Suponho que é para que não prejudiquem o organismo. Não vá o Diabo tecê-las e aquilo que era suposto curar pode tornar-se perigoso.
Nas empresas também existem processos semelhantes.
Às vezes existem trabalhadores a quem é comunicado o fim do seu prazo de validade. Alguns barafustam. No meu tempo nada disto acontecia! Não é assim que se tratam os assuntos. Os mais novos não têm calo e sabem muito pouco. O que vai ser da empresa sem os conhecimentos dos mais experientes.
Tudo isto são insinuações de quem já pouco tem para dar à empresa.
Os tempos são outros e a vida não para.

Encontrei na rua um antigo colega. Recém pré-reformado.
- Então o que fazes?
- Ando a viajar. Vim agora de Espanha. Ando por lá a descobrir a arte, a pintura, os monumentos, as paisagens.

Modos novos de encarar a vida, para quem tiver a oportunidade de gozar a vida desse modo.
ajp

Cor de Rosa (2)

Ainda a propósito das revista cor de rosa portuguesas. O melhor é começarem a fazer um suplemento com origem nas prisões portuguesas. É que com tantos jet 7 na prisão ou à volta delas, bem que podíamos ter umas Caras Prisões, Flash Prisão, TV 7 grades,...
ajp

Cor de Rosa (1)

As revistas cor de rosa exultam de alegria. Depois de um longo tempo do defeso após a trágica morte da princesa Diana, eis que surge, como que por magia, uma nova princesa -Letizia.
Tem todos os ingredientes para se fazerem grandes capas e muitas estórias fantasiosas. A plebeia, mas profissional da comunicação, com uma carreira e com êxito, chega onde outras só chegaram por serem filhas de Alguém nobre.
Agora vamos ter um corropio de informação, com muito ruído e recheada de muita invenção, que irão adocicar e também azedar esta relação amorosa, que por via da publicidade, não tem grandes condições para ser uma relação normal.
Pena é que dois jovens não possam amar-se livremente e constituir família sem passar por esta publicidade impiedosa, que hoje os idolatram e amanhã os crucificam.
ajp

A morte raspou à porta

A morte não nos bate à porta. Então seria impossível escrever este texto.
Mas às vezes a morte raspa a nossa porta, leva algum dos nossos familiares e amigos. Ontem foi a vez da mãe de um amigo meu.
Juntamos outros amigos e junto à igreja onde o corpo foi depositado, falamos dos vivos, soubemos uns dos outros e dos nossos filhos. Celebramos a vida de quem partiu e tentamos assim consolar o nosso amigo.
É a vida, dizemos muitas das vezes nestas situações, em que ficamos quase sem saber o que dizer.
Aqueles que já passaram por estas situações, como eu, que já vi partir os meus pais para a sua viagem definitiva, sabemos bem o que significa ficar perdendo de vez as referências físicas ao nosso passado. Mas também sabemos que a memória dos nossos pais, os valores e as histórias que nos foram transmitidas, vão sendo sucessivamente lembradas.
Acho que passei a fazer isso mais intensamente. Vou citando ao longo dos dias e para as mais variadas situações, as frases e as memórias que ten…

A tristeza no olhar...

Num título de 1ª página de um jornal am língua russa publicado em Portugal, pergunta-se: porque é que os portugueses têm tanta tristeza no olhar?
É assim que somos vistos por alguns que connosco vivem. Poderemos dizer que não é bem assim. Existem de facto muitas tristezas à nossa volta, mas de vez em quando também temos umas alegrias. Mas parece que são insuficientes para que modifiquem o nosso olhar.
Acho que hoje vou fazer um esforço para alegrar o meu olhar. Pode ser que alguém note.
António José Paulino

A morte do Big Brother

Parece que está quase a morrer.
Já lhe foi diagnosticada a morte no 24 Horas. O que talvez signifique que as outras novelas da vida real, que nos enchem o dia, já são mais importantes, e não vale a pena inventar uma vida virtual na Venda do Pinheiro. Ou então o pessoal já está farto deste tipo de telelixo, e talvez comece a ver as magnificas séries da RTP 2, ou a ouvir música, ou a ler um livro.
Há muito mais formas de ocupar o tempo do que ficar teledependente.
ajp

A nova Luz

Estive lá, mas foi difícil entrar. Tentei comprar bilhete, mas dificultaram-me a tarefa. Nem para receber têm jeito.
Acessos... um caos completo. A pressa das nossas inaugurações. É o mesmo nas auto-estradas antes de eleições e foi também assim com o estádio, também por causa das eleições.
Só consegui entrar na 2ª parte, e à borla. Também não valia a pena pelo Benfica. Só valeu pelo Beira-Mar, que se bateu como um leão para ganhar. O estádio é bonito,..., mas tem uns ecrans pouco gigantes, que só mostram o resultado, as horas e as entradas e saídas de jogadores. Como estamos em Portugal, são designadas por OUT e IN (estão à espera de tradução).
Mal empregado estádio para tal equipa.
Para o ano haverá mais.
ajp

Encontro Informal de Blogs - Lisboa

Cheguei tarde e saí cedo.
Não deu para me aperceber de tudo. No entanto deu para ver que existem blogs que devem a sua existência às polémicas que levantam, algumas legítimas, outras por narcisismo, outras só para que o sistema se mantenha.
Mas é um espaço de liberdade.
Tenho uma amiga que se queixa que se deveria olhar melhor para o que se escreve. Porque, diz ela, há muita coisa mal escrita na blogosfera, ou no blogospaço, como ouvi lá dizer. Mas como controlar esta escrita?
Os comentários são importantes ou só servem para que sejam citados?
Foi bom ter visto estas discussões. Foi bom ter encontrado um antigo colega que anda agora por estas bandas, no Farol das Artes.
Vamos em frente.
Cá para mim, o interesse deste blog, é o de partilhar ideias, fazer comentários, dar sugestões, de algo que possa tornar a nossa vida pramelhor.
António J Paulino

O sr.

Insurge-se hoje no jornal Público, Eduardo Prado Coelho, sobre a forma de tratamento das pessoas em tribunal, a partir da recente entrevista de Paulo Pedroso à revista Pública, onde se dá conta que durante o seu interrogatório, o juiz Rui Teixeira o tratou "apenas" por senhor Paulo, e não por Dr. Paulo Pedroso.
Já em tempo este juiz foi atacado porque andava de calça e camisa de ganga, entenda-se por roupa desportiva, durante o seu trabalho, sem recorrer ao clássico fato e gravata, que eventualmente só utilizaria nas audiências, além da tradicional toga.
O senhor EPC (se calhar deveria escrever sempre Dr. Eduardo Prado Coelho) parece que não andou por este mundo, e em especial em França, onde toda a gente é tratado "apenas" por Monsieur ou Madame, sem se fazer qualquer referência aos graus académicos. E isso não os impede de serem tão bons ou melhores que nós.
Por acaso alguém por aqui sabe qual foi a formação académica de François Miterrand, ou a do Valéry Giscard…
E esta do Rui:
Se a Dr.ª Ana Gomes tivesse um blog não precisava de andar a esforçar tanto as cordas vocais
Acho que temos de patrocinar a criação de blogs por todos os político-mediáticos que precisam de protagonismo. Não pode ficar tudo apenas para o Pacheco Pereira.
Não tenho dúvidas sobre a capacidade criativa de uns blogueiros. Ora vejam lá esta opinião do Trenguices
Não haverá ainda tempo para construir um estádio de futebol em Bragança?
Se marcassem lá todos os jogos da Inglaterra, o Euro 004 seria um sucesso turístico-comercial.


Ainda bem que há alguém que vai rindo de tudo e de todos.
ajp

25 anos é muito tempo (2)

Recebi alguns comentários ao texto anterior sobre este assunto. A favor e contra. Eis dois exemplos:

Estou inteiramente de acordo com a tua opinião! Tenho pena de dizer isto,
mas parece que a Igreja continua um bocado "quadrada"! Se a "manutenção"
dos Papas, antigamente devia ser até à morte, hoje em dia há que pensar de
outra forma, uma vez que é evidente o estado de degradação de João Paulo II. FS


Não se pode confundir a doença do Papa com aquilo que ele representou para o Mundo e a Igreja, nestes últimos 25 anos. JB

São talvez visões complementares de uma mesma situação.
O papel determinante que João Paulo II desempenhou para o queda dos regimes anquilosados do Leste da Europa e o desanuviamento mundial, assim como a intransigente defesa da Paz, e a promoção do Homem, são de facto algo que muito marcou os últimos 25 anos.
É certo que na condução da Igreja, se continuaram, na minha opinião, a cometer muitos erros, que espero, mais tarde outros Papas venham a pedi…

Os MRPP´s da nossa política

Estamos condenados a aturá-los.
Cerca de 30 anos após os tempos áureos do MRPP nas escolas, nas fábricas e nas ruas de Portugal, aí os temos de forma pujante na nossa política.
Desde que Durão Barroso chegou ao lugar de primeiro-ministro, tem sido um corropio a procura de protagonismo dos ex-MRPP's.
No poder judicial tivemos Maria José Morgado e Saldanha Sanches, que começaram a corroer o poder laranja, ainda antes do escândalo da Casa Pia.
Mas o PS não podia ficar para trás. E aí está Ana Gomes, à perna com o Governo e também com o José Lamego, do seu próprio partido.
A sua escola de formação inspirada em Mao Tsé Tung deu frutos tendo transportado para esta época, uma versão moderna daquilo que então se chamava a agit prop, que era muito frequente nas cantinas e nas associações de estudantes. Os da minha geração lembram-se bem das agitações que eram então provocadas nas RGA's (Reuniões Gerais de Alunos) àcerca da libertação de presos do MRPP (como Saldanha Sanches, Arnaldo M…

25 anos é muito tempo

Em 25 anos muita coisa mudou.
Pelo que me toca, nestes 25 anos, passei por muitas coisas, e muitas passaram por mim.
Já tive certos entusiasmos, pontos de vista e ilusões, que passaram para outras hipóteses de ideais, adaptadas ao correr dos tempos.
Ou seja o tempo mudou e como dizia o poeta, Mudam-se os tempos, Mudam-se as vontades.
É claro, hoje em dia para todos nós, que estas mesmas mudanças atingem naturalmente todos os mortais. E também João Paulo II.
Sabemos que os Superhomens se ficaram pela banda desenhada e pelo cinema.
Mesmo a ideia da infalibilidade está demasiado difusa, desde que a Igreja passou a pedir desculpa ao Mundo pelos seus erros no passado. E estou certo disso, irá pedir desculpa, mais tarde, pelos seus erros de agora.
A pressa e a necessidade de mudança neste Mundo que a Igreja deve acompanhar, exigem outras mudanças.
Daí que pense que este Papa deveria resignar e promover a sua substituição por quem possa responder aos novos desafios.
Insistir na manutenção, …

O tempo que falta em Alvalade

Numa torre junto ao novo estádio de Alvalade, foi sendo afixado o numero dias que faltavam para a sua inauguração.
E chegou o dia, e estreou-se o dito.
Depois veio o problema da relva, mas isso são outras histórias.
A seguir contabilizou-se o número de dias para a inauguração das 16 novas salas de cinema.
E veio a Caterine Deneuve, e começaram por lá as fitas.

Agora os numeros estão a zero. Ou seja três zeros.
Porque não começar a contabilizar o numero de dias que faltam para que o Sporting seja campeão?
ajp

Declaração

Veio publicada no jornal Público esta declaração:
Jorge Girão afirma e reafirma que ama Isabel M. uma pessoa excepcional e maravilhosa, a quem pede humildemente desculpa e perdão pela dor e sofrimento que lhe infligiu com o seu comportamento indigno o qual se compromete a emendar.

Que amor intenso foi este, que só se manterá se se gastar uns euros a publicar esta declaração, que só os próprios e talvez os familiares venham a entender?
Isto não seria melhor com um jantar à luz das velas?
Ou será uma nova moda das praxes deste ano?

A coisa parece que passou por momentos difíceis. Como não sabemos mais do que ali foi publicado, resta-nos imaginar o que teria acontecido. Eventualmente uma facadinha no matrimónio.
Sugiro aos protagonistas desta história que a contem a uma televisão tablóide, assim terão oportunidade de entrar em directo num qualquer noticiário.
ajp

Eleições e Referendos

A propósito da discussão sobre a oportunidade de fazer coincidir as próximas eleições europeias com um referendo sobre a Europa, deu azo a que alguns comentadores e políticos tenham defendido coisas completamente opostas. Dá-me a impressão qque por vezes o que se pretende é condicionar os eleitores às conveniências políticas do momento. Se se admite que os resultados não venham a ser os mais adequados, então é melhor arranjar as coisas de outra maneira. Creio que tudo não passa de uma forma de subestimar a capacidade de decisão dos eleitores.
Ou seja, se eles não votam como nós queremos o melhor é condicionar a escolha.
Era bom que se olhasse para outras experiências, por esse mundo fora, onde em qualquer momento, o poder formula as perguntas aos eleitores que são necessárias para as decisões do futuro dos países.
ajp

Farmácias Católicas

A notícia anda por aí, e no Público já passaram pelo menos um editorial e uma crónica.
Porque será que alguns católicos, inseridos em movimentos, procuram condicionar artificialmente o modo de vida dos outros? E só se lembram dos medicamentos relacionados com a sexualidade...
ajp

Ministras

Sai um ministro (homem), entra uma ministra (mulher).
Qual vai ser o próximo a cair?
O ideal seria a substituição total dos ministros-homens, até chegarmos a um Durão Barroso, completamente cercado por mulheres.
Então talvez a governação fosse diferente, pramelhor claro.
ajp

O fim da era João Paulo II

A discussão deste tema voltou à ribalta após o anúncio sobre o agravar do estado de saúde do Papa.
Não faz sentido este estado de coisas, por mais que se invoque a semelhança deste sofrimento de João Paulo II com o de Jesus Cristo.
Este arrastar da doença, em episódios mediáticos, creio que não serve de nada à Igreja.
Haverá, concerteza, vontade de mudança, que passará pela escolha de uma outra figura que lidere a Igreja, passando pelo inaugurar de uma nova prática, a da resignação papal.
ajp

Praça da Alegria

A RTP 1, ao publicitar um aniversário deste programa, não escondeu o protagonista dos primeiros anos, Manuel Luís Goucha, agora a trabalhar na concorrência.
Sempre é um contraponto à moda actual de reescrever a história, como vimos recentemente a propósito do filme sobre o CDS, onde a actual direcção, apesar de ser herdeira de um partido, resolveu apagar as figuras incómodas de Freitas do Amaral e de Lucas Pires.
Quando se quer renunciar à herança o melhor seria fundar um partido novo. Outros nomes, outras figuras.
Mas não foi assim que o entenderam os responsáveis actuais do CDS. Depois não se admirem das comparações com a manipulação da história que se faziam na antiga URSS.
ajp

Crónicas de Angola (III): Igrejas e Educação

Igrejas incríveis; a sério.
Com pessoas que cá para mim são santas, ou heroínas, ou ambas as coisas.

Nas missas/celebrações sente-se que está ali muito do melhor, nas pessoas de
Angola.
Pressentir os seus esforços invisíveis, sentir a sua determinação e alegria -
no meio desta confusão de injustiças - cria um clima que eu não aguento; choro,
mesmo (ando a chegar à conclusão que, em geral, os "estrangeiros" que aqui
chegam quanto mais choram menos adoecem, e vice-versa...).

E há quem sobressaia deste conjunto de memórias-impressões.
A Irmã Rosa, por exemplo.
Tem sessenta e poucos anos de vida, quarenta de Angola, olhos azuis cheios de
luz; é espanhola de Salamanca e está à frente de uma missão, no Huambo.
Um internato e uma grande escola, da pré ao secundário, devolvidos à Igreja
católica.
Três mil alunos no espaço para metade, mas num oásis: de calma, ordem, plantas,
algum material, muito respeito, recuperação e melhoramento
constantes das instalações e condições de trabal…

Romances de faca e alguidar

Do "Romances de faca e alguidar" veio este comentário:
é incrivel como as pessoas continuam a assumir um contracto de exclusividade a longo prazo...sem pensarem na liberdade que perdem...será que é para melhor? E dpois chamam a isso amor...eu chamo a isso cega insanidade.

Terá o sonho desaparecido?
Perder a liberdade, porquê? Porque eles se casaram? Por juraram por toda a vida?
ajp

Casório

Ontem foi dia de casório.
Familiares e amigos que decidem casar. Conheceram-se nos Açores e por lá vão ficar.
Jovens, já maduros, que continuam a arriscar num compromisso familiar, perante os familiares e amigos e perante Deus, que o seu amor será eterno.
Foi uma festa muito boa, num local muito agradável.
Boda molhada, diz-se é uma boda abençoada.
Numa época em que o que é notícia é o corropio de casamentos e divórcios dos colunávies, é bom presenciarmos outras formas de compromisso.
Que eles sejam felizes, e que os que ontem lá estavam, possam acompanhar a sua felicidade.
ajp

Jornalistas desportivos

Numa entrevista no fim do jogo desastrado do Benfica, com uma pequena e modesta equipa belga, diz o jornalista ao treinador Camacho:
- foi um óptimo resultado para o Benfica, pois empatar e marcar fora é sempre bom nestas competições...

Com mentalidades ganhadoras deste tipo, não vamos longe.
Este é tipo de jornalismo conformista que nada tem de diferente daquele que, logo que se prepara uma qualquer competição onde existam medalhas para distribuir, começam logo a pedir aos nossos atletas a sua contabilidade medalhística.
ajp

CRÓNICAS DE ANGOLA I

Uma amiga minha, a Rosarinho, voltou a Angola, para aí trabalhar no âmbito de uma ONG (Organização não-Governamental).
Mas quando se regressa, a um país como Angola, há sempre coisas novas a descobrir.
Foi isso que ela me transmitiu e e que a seguir se publica. Cá ficamos à espera de outras crónicas.


Retrato: Criança de-balde

A menina parece ter uns cinco anos. Linda. Muito magra.
Vai a subir, pelo passeio explodido por raízes de árvores e inundado de pessoas. Arrasta a custo um balde grande cheio aparentemente de papeis higiénicos e quejandos, usados.
Um balde que veio com certeza de uma qualquer “casa de banho de senhoras”.
O que raio faz uma catraia tão pequena com uma merda de um balde destes?
Quando chego à interrogação é tarde: há bastante gente nos dois sentidos, a
subida em que ela se esforça e a descida em que vou embalada (mais parecemos
filas opostas de carros); e palpita-me que o espalhafato de uma branca a correr feita tonta atrás dela pode não ser exactamente o que faz f…

O inglês nos blogs

Reparo ao passar por alguns blogs escritos e comentados em português, mas que utilizam a torto e a direito, frases inteiras, descrição de conceitos, e muito mais, em inglês, sem qualquer explicitação de estão a usar uma outra língua.
Já para não falar nesta mania dos EARLY MORNING BLOGS
Será que o português não terá palavras suficientes para explicar bem os assuntos?
Ou alguns estarão a tornar-se nuns Davides Fonsecas da blogosfera portuguesa?

Hoje à saída do Metro encontrei um amigo, que já não via desde a sua festa de despedida da empresa. Terá talvez 66 anos ou mais. Disse-me que ia agora aprender inglês....
Fiquei na dúvida se seria para começar a ler alguns blogs.
ajp

Regresso ao passado na Netcabo

O anúncio que passa agora nas televisões de promoção da Netcabo, é um regresso ao antigamente das nossas escolas primárias, pelo menos para os da minha geração, que eram obrigados a papaguear as serras, os rios e afluentes das margens direita e esquerda, as linhas de caminhos de ferro, etc.
Em 2003, mostrar as crianças a cantarem as coordenadas geográficas dos cabos portugueses, apenas para chegarem à Netcabo, não lembraria ao antigamente.
Anda a faltar imaginação aos nossos publicitários.

ajp

Ainda o piii da Antena 1

Transmite-me o Carlos Vaz Marques a cada um o seu pipi, claro. Não se trata de poupar quinze ou vinte segundos, trata-se da desadequação entre o meu ritmo e o ritmo da rádio. Se quero silêncio desligo a rádio. Se quero pausa, outro tempo, outro fôlego tenho (ainda?) a Antena 2 ou, em Lisboa, a Luna. Não me parece é que o sinal horário da Antena 1 seja património nacional e intocável. Mas também não me choca que haja quem faça dele uma causa. Limito-me a dizer, porque fui interpelado, que não é a minha causa."

Mas verifiquei com agrado, que a Comissão de Trabalhadores da RDP, fez deste assunto também a sua batalha, considerando o anterior sinal horário da Antena 1 como Património da estação. Não será talvez Património Nacional, mas é algo que não deveria ser deitado fora.
ajp

Os 7 pecados sociais da nossa sociedade

A Igreja Portuguesa através dos seus bispos fez a identificação de 7 pecados sociais.
Trata-se de um texto muito interessante e denso, que merece análise e comentários.

Eis a parte do texto, da Carta Pastoral, onde se resumem estes pecados:


Ao olharmos o nosso país, com os problemas que o atravessam, na perspectiva da edificação de uma sociedade solidária, identificamos algumas atitudes e linhas de comportamento, a que podemos chamar “pecados sociais” e que exigem uma conversão à solidariedade responsável na construção do bem comum:

1) os egoísmos individualistas, pessoais e grupais, sem perspectiva do bem comum mais global;

2) o consumismo, fruto de um modelo de desenvolvimento, fomentado pelos próprios mecanismos da economia, que gera clivagens entre ricos e pobres e gera insensibilidade a valores espirituais;

3) a corrupção, verdadeira estrutura de pecado social, que se exprime em formas perversas, violadoras da dignidade humana e da consciência moral pelo bem comum;

4) a desarmon…

Porque é que os weblogs não são uma moda

Do encontro de Weblogs em Braga chega-nos este texto-resumo da intervenção de José Luis Orihuela
Porque é que os weblogs não são uma moda
e como poderemos dar-lhes novo impulso


1. Blogging, Self Media, Nanopublishing ou Thin Media são novas designações para a estratégia dos utilizadores que decidem tornar-se ainda mais activos e iniciar actividades mediáticas de low profile.

2. Blogs de nicho blogs especializados constituem o desenvolvimento natural do colunismo dos media tradicionais, com a vantagem da liberdade face às agendas de outrém, no que diz respeito a temas e frequência.

3. Quando às mesmas pessoas se pede que tenham capacidades nas áreas da apresentação e do conteúdo então: templates de sucesso / blogs com excelente apresentação mas sem conteúdo / conteúdo sólido mas apresentação pobre / algumas pérolas de conteúdo e grafismo que se tornarão, mais tarde ou mais cedo, em blogs de culto.

4. O que perdemos na passagem da periodicidade para o tempo real foi o espaço de reflexão.…

Encontro de Weblogs - Braga

Caros amigos dos Blogs em Braga,

Ainda em Julho chamei a atenção à organização, para o facto de que este fenómeno dos blogs, tratando-se de uma actividade não profissional para a maioria dos seus produtores, não me parecer bem que este Encontro decorresse durante a semana, dado que assim só poderão participar os profissionais desta arte.
Não é bonito que logo numa primeira iniciativa desta natureza se incentive a saída de cada um dos seus locais de trabalho, para assim participar neste Encontro.
A não ser que cada um possa invocar junto da sua entidade patronal a ida em trabalho bloguístico, para justificar a falta.
Daí que tivesse sugerido que se passasse esta actividade para o fim de semana.
De qualquer forma, manifesto ao Manuel Pinto e à restante organização, o desejo de muitas e boas reflexões que ajudem a tornar pramelhor este fenómeno.

António J Paulino
Pramelhor

Os 21 segundos da nossa imaginação

Imagem
Anda tudo a mudar por aí, na comunicação social.
Agora foi a Antena 1 a mudar o seu inconfundível sinal horário. Era bem demorado. 21 segundos. Com os primeiros “pis” de 5 em cinco segundos, aos 21”, 16”, 11” e 6”, e o “pi” mais curto à hora certa. E creio que esta hora, é mesmo certa.
Não tem nada a ver com o que se passa com outras rádios, até mesmo a TSF, que se interessam mais com a colocação da publicidade antes ou depois dos noticiários, sem se preocuparem a exactidão da hora que nos rege. Longe vai o tempo, em que este sinal horário da antiga Emissora Nacional, rivalizava com o sincopado sinal do antigo Rádio Clube Português (que até servia de padrão, por exemplo para alguns ralies de automóveis),
É certo que mais segundo menos segundo, para o comum dos mortais, não terá muito significado.
No entanto, andar com o relógio acertado, mesmo ao segundo, é um preciosismo que ajuda à pontualidade, que é, como todos sabemos, algo que muita falta faz aos portugueses.

Mas o jornalista A…

NECROLOGIA.NET

É assim que agora se pode noticiar a morte no Público.
Trata-se de um directório da Necrologia Nacional
Onde se começa assim:
A morte faz parte do acto de viver.
Nalgum momento da vida confrontamo-nos com o falecimento de alguém próximo.
Este é o espaço de referência para homenagear e preservar a memória de quem já partiu.

Mas não se fica por aí, porque pretende ajudar as pessoas a resolverem bem e atempadamente os problemas que resultam para os vivos, da morte de alguém.
Assim são indicados os passos a dar:
1º Contactar uma Agência Funerária
2º Participar o óbito às Finanças e fazer Relação de Bens
3º Participação à Segurança Social
4º Participação às Entidades Bancárias e Seguradoras
5º Habilitação de Herdeiros e Registo dos Bens
Conselhos vários.

Não há nada haver quem nos proporciona uma vida e uma morte pramelhor.

Vamos desde já activar o paraiso.aqui, também o inferno.nunca, já que recentemente a Igreja desactivou, por falta de credibilidade, o purgatório.esquece.
ajp

RAVE

A Rede Ferroviária de Alta Velocidade mudou de sede.
Deixaram um sítio tão simples, e aparentemente normal, no Campo Grande, 378, Lote 2, 4º andar , 1700-097 LISBOA, para, depois de bem publicitado nos jornais, passarem para um sítio bem moderno, no Parque das Nações
Tão moderno, tão moderno, que ficaram instalados na Avenida D. João II (até aqui tudo normal), mas agora reparem na especificidade:
é no Lote 1.07.2.1, Piso 1, ala A e B, 1990-096 Lisboa.
Uma coisa muito mais precisa - Lote 1.07.2.1, Piso 1, ala A e B,
Com estas modernices já ninguém muda para um simples nº 13 - 8º Direito.
Coitados dos carteiros para andarem à procura da caixa este lote.
Sabe-se lá o que um engano, por exemplo para o Lote 1.07.2.5 poderá levar?

Esperemos que com esta nova morada, tão exacta na sua localização, a que só faltarão, talvez as coordenadas geográficas, os comboios entre Lisboa e Porto demorem, em breve, as tão prometidas 2 horas.
E assim acontece neste Portugal.
ajp

Newgrange

Imagem
tozé

Cerca de 5200 anos antes de nós, povos que viviam na agora Irlanda, em Newgrange, construíram monumentos grandiosos de arquitectura e engenharia complicadas, que permaneceram até aos nossos dias, sem terem passado pelas inspecções do IEP.
A entrada estreita desta gruta é iluminada pelo Sol no solstício de Inverno, durante apenas 17 minutos.
Mistérios insondáveis da criatividade humana, ligando o Sol à Vida e à Morte do Homem.
Uma outra forma de conviver com a natureza, que temos perdido nos dias de hoje.
ajp

A Senhora do Monte

Imagem
Aqui está uma sugestão para a Câmara Municipal de Lisboa.

tozé

Aproveitando a boleia das campanhas de publicidade para a ajuda ao turista que nos visita, sugiro à Câmara Municipal de Lisboa que reabilite este lindo portal de azulejos, para ajudar a identificar parte de Lisboa, do miradouro da Senhora do Monte, junto à Graça. E haverá mais na cidade para reabilitar.
Talvez seja uma melhor forma de publicitar o que vai mudando pramelhor na cidade e com menos custos para os contribuintes.
ajp

11 de Setembro - Hoje

As diversas histórias que fizeram História a 11 de Setembro, continuam a marcar a gente da minha geração. O golpe de Estado no Chile foi o fim de uma promessa de democracia, que poderia vir a modificar o panorama da América Latina da época, dominada por diversos ditadores. O desmoronar das torres gémeas vinte e oito anos depois, veio pôr em causa de uma forma global, a segurança de quem acredita que os sistemas democráticos, são espaços de diálogo e participação que nos punham a salvo de quaisquer extremismos, a que só estávamos habituados a ver e a sentir à distância de um telecomando de TV.
Após o telefonema de alerta do meu filho, e a corrida à TV, para tentar perceber o que tinha acontecido, aos poucos, fomos, eu e os meus colegas de trabalho, apreendendo a triste realidade que estávamos a viver, em directo pela TSF e pela televisão. A descrição do que ia acontecendo era como num filme de acção, em que cada uma é mais espectacular que a anterior. Na altura em que comecei a ver o q…

Regressos

Regresso de férias e regresso à bloguice.
Andei pelas Irlandas, a da República da Irlanda e a Irlanda do Norte, com a família.
Verde, muito verde, muito mar e muitos lagos, estradas rurais, condução pela esquerda, sem stresses, sem buzinadelas, paisagens de encantar, histórias da nossa pré-história,...
Um destes dias vou mostrar alguas fotos para aguçar o apetite a quem quiser ir por estes sítios. E se precisarem de sugestões, é só pedir.
Por cá, vê-se que muito pouca coisa mudou. Não seria de esperar outra coisa.
Mas, logo no aeroporto, vemos que chegamos a Lisboa. Sempre a mesma confusão e desorganização com os taxis. Um postal de visita tão nosso característico. Lá pela Irlanda não vimos nada assim.
Diferenças...
ajp

Andamos todos a contar mentiras

A nossa principal actividade, a dos portugueses, é a de contar mentiras.
Todos temos opinião sobre tudo. Somos todos treinadores das diferentes bancadas da vida, do futebol, da política, da TV, do crime, etc.
Não admira assim, que face aos diferentes casos político-criminais de que vamos tendo notícias, vão surgindo muitas opiniões, fundadas, a maior parte das vezes no que diz que disse, daqueles nossos conhecimentos do tipo:
"eu tenho um colega, que me disse, que no prédio dele, a filha da porteira namora com um rapaz, por sinal muito jeitoso, que é motorista da PJ...", ou "vinham a dizer na camioneta que...," "ontem estavam a dizer no cabeleireiro, que...".
O que não falta à nossa volta são mentirosos.
ajp

Vamos lá passear

Imagem
tozé
É altura de mudar de ares e ir de férias para um outro lado.
Quem sabe se esta chuva, que por aqui apareceu, não irá ajudar a baixar a elevada temperatura ambiente que por aí anda.
Foram os apagões. Em Nova York atingindo 50 milhões de habitantes (basta imaginar Portugal e Espanha ao mesmo tempo completamente à escuras, e em Londres, com 8 milhões afectados. O que as cegonhas conseguem fazer por esse mundo fora.

Foram os incêndios, da nossa incúria e falta de planeamento florestal. Nada de anormal para aquilo que todos os dias nos rodeia.

Foram as festas do jet 7 e outros aparentados, que nos deram o melhor do Algarve. Alguém ouviu dizer como estava a água da praia?.

Foi o Benfica, a ficar outra vez a chuchar no dedo. Para o ano é que é!!

Foram também os muitos mentirosos que encharcaram os meios de comunicação de notícias, que o não eram, de acontecimentos que pouco nos interessam, mas que alimentaram as conversas à hora das refeições.
Já lá vai o tempo das mortes em Barrancos, d…

O fabuloso Mundo de Amélie

Imagem
Ora aqui está um filme recomendado para quase todas as idades. Este é o DVD que hoje saiu à venda com o Público.
A ideia que alguém se preocupa em fazer o bem aos outros, é naturalmente um incentivo para se viver melhor.
Este filme possui pormenores da vida em comunidade, personagens singulares que pela sua especificidade nos fazem lembrar gente que nós conhecemos. Tem uma banda sonora que nos ajuda a dispor bem e a maravilharmo-nos com as coisas simples da vida.
Vale a pena ver e partilhar com outros.
ajp


Oleoduto

Numa das páginas do jornal Público de hoje, aparece uma pequena e inocente notícia:
"Estados Unidos vão transferir petróleo iraquiano para Israel"
Já foi pedido a Israel que prepare a reabertura de um oleoduto que liga refinarias iraquianas em Kirkuk ao porto israelita de Haifa...
Qualquer coincidência desta situação com a necessidade da intervenção militar no Iraque por parte dos EUA só pode ser por maldade.
ajp

Regresso

"Rentrée" política = cuidado eles aí estão de volta, para uma nova campanha eleitoral, que é que vai acontecendo ao longo de todo o ano.
Erro de "casting" = alguns casos conhecidos e badalados todos os dias, mas parece que ninguém quer corrigir os enganos.
Fim da "silly season" = mas nalgumas matérias, isto não dura todo o ano? Não estamos todo o ano a acompanhar assuntos, situações, que não passam de verdadeiras idiotices?
"Clichés" vários que acompanham a vida de qualquer português.
Com se não houvesse uma outra forma, mais portuguesa de nomear aquilo que nos rodeia.
Terá mesmo de ser assim?
ajp

Anedotas de Loiras

Na Bósnia vão ser proibídas as anedotas sobre as loiras, comunica-nos o Público, no suplemento de Verão.
É que por lá a maior parte das mulheres tem aquela cor de cabelo.
E não se pense que se trata de uma decisão de um qualquer censor. Trata-se de uma decisão de um grupo internacional para os Direitos Humanos.

Alentejanos organizem-se!
Temos de proibir as anedotas sobre alentejanos.
Propõe-se para sede desta organização a Barragem do Alqueva. Sempre era mais alguma água para ajudar o Guadiana.
ajp

Encontros de Bloguistas

Caros amigos dos Blogs,
Estão em curso, pelo menos, dois encontros sobre blogs:
O Encontro de Weblogs, em Braga, a 18 e 19.Setembro.03, e um Encontro Informal de Blogs, em Lisboa a 30 de Outubro.

Tratando-se, como se vai vendo, de uma actividade não profissional para a maioria dos bloguistas, não faz muito sentido que estas marcações sejam feitas para dias de semana.
Assim só poderiam participar os profissionais destas artes, ficando arredados os amadores.
Está mal.
Esta nova forma de comunicação e interactividade deveria ser amplamente partilhada.
Aqui vai a minha sugestão. Passemos estes encontros para o fim de semana, de modo a alargar o leque de participações.

António J Paulino

Notícias do meu país

Ontem à noite a TSF noticiava a morte de muitos peixes no rio Zêzere, na zona da freguesia de Barroca. Nada de especial a assinalar. É algo a que estamos habituados.
Mas entrevistado o presidente da Junta de Freguesia, sobre as causas e sobre a fiscalização do curso do rio, disse-nos ele que era melhor falar às rádios, porque não conseguia nada, pelas vias normais, no pedido de fiscalização e de apoio aos responsáveis de Ministério do Ambiente.
Aqui está o desenrrascanço português face à inoperacionalidade do sistema...
ajp

ECONOMIA- A FRONTEIRA DA CULTURA

Mão amiga fez-me chegar este texto de uma conferência proferida pelo escritor Mia Couto, em Maputo, no passado mês de Julho.
Pela sua importância enquanto reflexão sobre a procura de uma identidade moçambicana, sobre o colonialismo, sobre as perspectivas para um futuro diferente e pramelhor dos moçambicanos, aqui fica a sua divulgação.
Aproveitem e divulguem este texto aos vossos amigos.
ajp



Economia- A FRONTEIRA DA CULTURA – Mia Couto – Maputo Julho 2003


Durante anos, dei aulas em diferentes faculdades da Universidade Eduardo Mondlane. Os meus colegas professores queixavam-se da progressiva falta de preparação dos estudantes. Eu notava algo que, para mim, era ainda mais grave: uma cada vez maior distanciação desses jovens em relação ao seu próprio país. Quando eles saíam de Maputo em trabalhos de campo, esses jovens comportavam-se como se estivessem emigrando para um universo estranho e adverso. Eles não sabiam as línguas, desconheciam os códigos culturais, sentiam-se deslocados e com…