Tudo sobre o divórcio da Alexandra Lencastre...

Este é um dos títulos sensacionalistas das revistas do Jet [qualquer número] desta semana.
São alguns dos modelos de vida que nos são expostos, de uma forma alegre, talvez até com patrocínios.
Estas revistas cor-de-rosa, e os programas de TV equivalentes, passam o tempo a mostrar-nos modelos de pessoas, ricas e bonitas, e se são bonitas têm de ser ricas... que fazem as delícias de qualquer homem ou mulher.
Cá no meu interior (se calhar sem dar mostras disso exteriormente) como eu gostaria de ser uma dessas pessoas. Não só porque passam o tempo em festas, fazem filmes ou telenovelas, e parece que não têm mais nenhuma coisa com que se ralar.
É certo que passam o tempo a casar-se e a descasar-se... quem o não tiver feito pelo menos meia dúzia de vezes até parece que não tem direito a aparecer.
Por outro lado, têm um tempo de namoro muito pequeno, porque mudam de parceiro quase como se muda a roupa de uma estação.
Basta acompanhar as capas de um ano destas revistas para nos darmos conta das parvoíces que se vão dizendo ao longo do tempo, sobre estas relações amorosas.
Hoje foram vistos juntos, e muito ternos, numa festa. Amanhã fazem projectos de vida em comum.
Rapidamente anunciam, com muita alegria, acariciando a barriga da mãe, que vão ser pais e se vão dedicar de alma e coração ao novo rebento (como se não houvesse mais nada para fazer na vida).
Depois casam e até baptizam a criança no mesmo dia. Depois tiram muitas fotografias de uma família unida em torno dos projectos profissionais e do futuro daquela criança brincalhona que é o orgulho dos pais.
Depois queremos que ele tenha companhia e uma mana vem a caminho....
E em breve, um dos membros deste casal foi visto numa outra festa, em troca de olhares muito ternos, com uma outra pessoa, e voltamos ao princípio desta pequena história, que se vai repetindo ao longo dos anos, em várias experiências amorosas.

E ainda por cima, sem qualquer privacidade. Basta lembrar as diferentes telenovelas da vida real do Jardel, da Ágata, da Gisela, do Zé Maria, dos casamentos e divórcios avulsos de que vamos tendo notícia.
Mas a nossa vida não pode ser assim!
Até porque este tipo de modelos de vida que nos são apresentados corresponde a uma franja muito pequena da nossa sociedade (modelos, actores, desportistas, jet 7 e arredores, ou seja também aqueles que queriam ser qualquer coisa parecido com isto).
E o que é que nós temos a ver com isto, se à maioria de nós, nada disto nos acontece…
ajp

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os nomes das doenças [21]