As rotinas [10]

A vida neste hospital está recheada de rotinas, que quase não me deixam tempo livre.
Logo às 7 h recebo duas doses de antibiótico injectável. Depois vou tratar das minhas lavagens, fazer a barba, tomar duche e vestir roupinha lavada. Um pijama, que é a nossa farda oficial de doentes.
Segue-se o pequeno-almoço, pão com manteiga sem sal, às vezes doce ou queijo, leite com café descafeínado, ou chá, e dois comprimidos para rebater.
A meio da manhã, fruta ou iogurte. Às 13 h almoço, que invariavelmente tem sopa (sem sal), e um prato de carne que alterna com o peixe ao jantar. Quase sempre fruta, às vezes gelatina ou um bolo com pouco açúcar. Quase sempre como acompanhamento, mais um comprimido para tratar de qualquer coisa.

Às 17 h o lanche, que é semelhante ao pequeno-almoço. Pelas 19 h chega o jantar.
No meio destas sessões levo mais umas doses de antibiótico (penicilina e gentamicina), porque a bicharada não é fácil de exterminar.
No meio disto tudo vamos vendo alguma TV, com excepção do período matinal em que a movimentação dos médicos, enfermeiras e auxiliares, não aconselham muito barulho na sala.

E às 23:30 h, sim porque aqui as actividades acabam tarde, além de uma ceia (chá ou leite morno e bolachas) lá levo mais duas doses de antibiótico.
Como se pode ver, não há muita folga para eu poder tratar do expediente.

Comentários

Um amigo enviou-me este comentário:
A despropósito dum blogue

Meu caro senhor. Por razões que eu nem sei se sei, fui parar ao seu blogue. Fiquei impressionado com algumas coisas que lá vêm e desculpe vir comentá-las.
1) De facto parece-me muito perigoso tirar dentes ao coração e é natural que dê infecção. É quase tão bom como pôr um pace maker na boca para se mastigar com mais ritmo.
2) O senhor Paulino teve muita sorte em o médico ter-lhe dado uma infecção cardíaca. Está bem instalado, num serviço todo limpinho, é bem alimenta… O meu vizinho, coitado, está num serviço mal cheiroso quase que não lhe dão de comer só porque o médico dele enfiou-lhe uma infecção gastro-intestinal e lá esta ele com a malta dos vómitos e diarreias.
3) O senhor teve foi azar na época em que foi internado. Se tivesse sido pelo Natal talvez até tivesse palhaços ao vivo e não só na televisão como descreveu. Não tenha medo de estar a ser muito caro pois eles é que gastam imenso dinheiro em viagens e jantares. Acho muito bem que se trate mas já agora com genéricos para não nos sair tão dispendioso.
4) Se o senhor Paulino quiser eu tenho um roupão neutro que lhe posso emprestar, mas também posso ceder um da “confraria da sesta” para não o incomodarem sempre que quiser dormir.
5) O meu amigo, uma vez que já é uma peça da exposição de medicina tem que estar bem alimentado e apresentável e para isso pode pedir um suplemento alimentar e tem direito ser lavado todos os dias. E penteie-se. Um coração penteado tem um sopro muito mais bonito.
6) Cá em Portugal é assim, cabe sempre mais um! A minha irmã vai no Verão para o Algarve com mais 15 pessoas para um apartamento de 5. Dormem em sacos cama e por turnos. Os mais velhos da meia-noite às 7, hora a que chegam os filhos, que ficam a dormir até à hora da praia lá para as três da tarde.
7) Eu netos não tenho para lhe emprestar. Mas posso pedir aos miúdos do bairro, que são netos de alguém que lhe vão dar de comer, e depois o senhor paga-lhes uma sandes e dá-lhes uma notinha de euros. É malta porreira quando não levam as fisgas.

Já percebi que está com um computador. Se quiser ganhar algum eu dou-lhe trabalho. Eu fiquei com um negócio do meu tio. Ele estava na porta do BI a preencher os impressos, e ganhava umas cinco coroas por cada um que ajudava. Eu agora arranjo clientes para os impostos, para matrículas nas escolas, para as multas dos chuis, tudo pela interneta e depois dou aos meus sobrinhos e amigos (a malta do Magalhães) que tratam disso porque eu é que não percebo nada disso. E depois dou-lhes uma comichão pelo trabalho. Se o senhor Paulino quiser também pode ganhar uns trocos…. Eu um dia passo por aí para o conhecer e depois falamos.
Espero que vá pramelhor, até um dia destes e cumprimentos à sua senhora que lhe dá o xarope.

José Beirão
Pboris disse…
Ter essa actividade toda e poder andar de pijama não é para todos. :)

Espero que esteja tudo a correr bem e que essa bactéria seja eliminada rapidamente.

Um abraço do Paulo Conceição.

Mensagens populares deste blogue

Os nomes das doenças [21]